Não coma entre as refeições, mas se alimente a cada três horas. Trabalhe um terço do seu dia, faça exercícios regularmente, leia mais livros, mantenha-se informado, nunca pare de estudar. Troque seu carro anualmente, você precisa de um celular novo, seu anti-vírus está desatualizado. Faça check-ups duas vezes ao ano, pague plano de saúde, seguro de vida, IPTU, IPVA e outros impostos que você nem sabe que paga, nem pra que servem. Trabalhe, ganhe, perca. Inspire, respire e, se der tempo, suspire. Se. Se der tempo, faça uma viagem. Se sobrar um espaço na agenda, tire um dia pra você. O prazer é um luxo e deve ser racionalizado para os momentos de desespero, quando o peso da rotina ficar insuportável.

Essas regras não servem pra mim. Não tenho vocação pra bailarina, tenho fobia de linha reta, tenho o corpo livre, o espírito solto, sou do mundo, das pessoas, das conquistas, das novidades, vou construindo fatos e lembranças nas esquinas. A vida que tem lá fora gritou e eu não ouvi. Agora me movo a passos curtos, ziguezagueando por entre mudas de flores recentes que querem ser botão. Eu quero ser flor: quero terra viva que se mova e me faça mover.

Olha, eu acho mesmo é que falta coragem. E tempo. Tempo de olhar em volta e coragem de bater de frente. Quando foi a última vez que você tomou banho de chuva sem se preocupar com o celular no bolso, os cartões do banco, a chapinha, o sapato que não pode molhar? As pessoas têm que se permitir. Aprender o atraso, o olhar em volta. Mudar o caminho de todos os dias e se perder no seu próprio bairro. É o que tenho feito, me perder. E devo dizer que estou muito feliz por não encontrar o caminho de volta.

Texto: Verônica Heiss

Eu tentei prometer pra mim mesma que não falaria sobre isso aqui no blog. Quem me acompanha no Instagram, sabe que eu tento levar uma vida fitness, com fugidinhas para um doce de vez em quando, e eu adoro isso! A atividade física além de me dar uma resistência incrível, me ajuda muito internamente, me deixa disposta e pronta para um novo dia (eu treino das 06:30 as 08:00h da manhã).

tumblr_lic8a6nBzF1qi9zrwo1_500_largeDepois de muitas amigas e conhecidas terem me falado coisas do tipo:”me inspirei em você e comecei a academia“, eu precisava compartilhar com vocês quão bom é essa nova vida e como ela pode te deixar melhor!!

Mas, quando levanto esse assunto de manter uma vida com atividades físicas, dieta e tudo mais, sei que não sou a única a falar disso. Me deixa feliz e triste ao mesmo tempo a popularidade que este assunto vem tendo com o passar dos dias. É muito legal todo mundo cuidando de sua saúde e do seu corpo, mas me entristece ver pessoas reféns disso.

Gente, da pra ser saudável desde o tempo da sua avó, desde sempre! Não é porque a maioria das pessoas estão com seus #projetosverão ativos que você precisa fazer o mesmo. Faz o que te faz bem!

tumblr_m8xg3gn6qq1qmp60fo1_1280Hoje em dia as pessoas tem uma liberdade incrível de expressar o que gostam, fazem, sentem.. E se 100 pessoas da sua timeline estão no projeto fitness e querem evangelizar todo mundo de uma forma idiota, seja você a 1 pessoa a dizer “sou feliz com meu corpo!

Mais do que acordar cedo e seguir uma dieta, você só é feliz se faz o que gosta.

Beijinhos,
Michelle

O metro repete “mind the gap” e apita algumas vezes. Chegou na estação de Camden Town, um lugar singular onde pessoas normais são estranhas e estranhas são normais. Pubs, cafés, lojinhas de souveniers, o canal e Camden Lock, o mercadinho mais legal do universo, estão lá localizados.

Imagine o lugar mais louco que você já viu na sua vida. Pois então, multiplique algumas vezes e torne realidade. Este é Camden Town, um distrito localizado no centro-norte de Londres, no bairro de Camden. É lá que morou Charles Dickens e a boemia Amy Winehouse. O pub onde a cantora trabalhava é o The Hawley Arms e fica pertinho, onde diversos fãs se aglomeram para sentir um pouquinho do que ela deixou, no happy hour.

Os góticos desfilam, indianos cuidam de suas lojas com seu jeitinho engraçado, ingleses passam despercebidos e turistas não piscam tamanha a curiosidade. A gastronomia é peculiar – é lá que você mata a saudade do arroz e feijão ♥ – e a arquitetura lembra o estilo inglês com uma tonelada de figuras estilosas sobrepostas. Além disso, boa parte da moda em geral é influenciada por aquela localidade: tatuagens, cabelos coloridos, saias pregadas e coturnos, por exemplo.

Cruzar o oceano para conhecer este pedaço de mundo é mais do que válido :)

Beijo beijo,

Cris

“Um dia aprendi que sonhos existem para tornar-se realidade. E, desde aquele dia, já não durmo pra descansar. Simplesmente durmo pra sonhar.” Walt Disney

disney-cabide-colorido

Nas férias de Julho, ganhei de presente de aniversário a viagem mais incrível que já fiz (até hoje). Passei 12 noites em Orlando, nos EUA, e vocês já podem imaginar o que fui fazer lá, não é?

Fui ao Bush Gardens, Magic Kindgom, Animal Kingdom, Universal Studios, Hollywood Studios, Sea World, Epcot… Sem falar em todos os tours de compras por shopping e outlets. Os simuladores em 3D e 4D são incríveis, os parques são verdadeiros sonhos e ainda me custa acreditar que as montanhas russas são maravilhosas daquele jeito. As pessoas são extremamente acolhedoras e a sensação de queda na Sheikra e na Tower of Terror são duas coisas que eu nunca vou esquecer.

Enfim, aqui vai a lista dos três parques que todo mundo deve conhecer quando for lá:

1 – Disney’s Magic Kingdom

Disney-Magic-Kingdom-cabide-colorido

Esse foi o primeiro parque de todo o complexo Disney, e não há como ir até lá e não conhecê-lo. Precisamos usar dois dias para ver a maior parte do parque, e foi impossível andar nele todo. A parada dos personagens + show de fogos é inesquecível, sem falar na emoção de conhecer o Mickey e ver os personagens!

2 – Universal Studios

Universal-Studios-cabide-colorido

O Universal não faz parte dos complexos da Disney, mas isso não o torna menos importante! Também fomos dois dias nesse parque, mas voltaria lá quantas vezes fossem necessárias (lógico!). Almocei no Hard Rock em um dia e no outro, no Krusty Burguer (aquele restaurante de “Os Simpsons”!). Sem falar dos brinquedos – um mais incrível que o outro. Principalmente os simuladores! A primeira coisa que me vem a cabeça: parque do Harry Potter! O parque em si, é incrível! Vou confessar pra vocês que nunca assisti a um filme inteiro e também nunca li um só livro (não me matem!), mas o lugar faz ter vontade de ser fã número um. Ah, pra quem gosta, o simulador dentro do castelo é incrível, mas preparem-se pra levar vários sustos!

3 – Hollywood Studios

Hollywood-Studios-cabide-colorido

No Hollywood tem a “Tower of Terror”, aquele elevador que sobe 13 andares e despenca. Sem dúvidas, a sensação mais incrível de adrenalina que já senti na vida (e amei). Sem falar na montanha russa do Aerosmith: você vai ouvindo músicas deles e assim que o carrinho começa, sua velocidade vai de 0 à 100 km/h em 3 segundos, acreditem.

Tudo lá é incrível, acreditem. Só senti falta da comida de casa! Outro parque que voltaria com toda certeza é o Bush Gardens: só tem montanha russa! Como eu disse ali em cima, nunca vou me esquecer da Sheikra: algumas subidas e decidas e pra finalizar, uma queda de 90º! Cada brinquedo tem sua característica própria, o que faz não se cansar de nada! Os “Splashs” são ótimos no calor: o carrinho passeia e você se molha (muito!), afinal, em Julho, aguentar um calor de mais de 40º não é fácil não!

No próximo post eu conto um pouquinho mais da minha experiência por lá!

Beijo,
Júlia Rodrigues

 

Sentada na calçada que circula o Estádio do Morumbi já conseguia sentir a energia do que me esperava dali a algumas horas. Eram 50 mil pessoas aguardando ansiosamente com os olhos brilhando, música na ponta da língua e ingressos na mão. Já está fazendo uma semana desde que a Beyoncé passou por São Paulo e a voz dela ainda ecoa em minha mente.

Mesmo lá de longe, foi incrível! Ela é toda a diva que falam e mais um pouco. O vozeirão, a maravilhosidade, a coreografia impecável e a humildade são infinitos. Merece tudo o que conquistou! Ao entrar no estádio a emoção já me tomou. Afinal, eu nunca tinha entrado num estádio e não tinha ideia da real grandeza do local. Durante a abertura o público que tomava a arquibancada fez a ola e arrepiou um pouquinho de tudo aquilo que ainda vinha pela frente. Dá pra imaginar a sensação de quando a própria Beyoncé entrou no palco? Indescritível.

Love On Top foi uma das minhas apresentações prediletas. Assiste um pouquinho e se emocione também :)

Quem nunca foi ao show de seu artista favorito saiba que vale a pena todo o esforço. As horas de viagem, madrugar na fila, conhecer outros fãs que dividem a mesma paixão e cantarolar cada sílaba com seu ídolo. Não tem preço que pague por esta experiência.

Beijos,
Cris