A gente sabe sobre o surto de febre amarela que aos poucos está se espalhando pela região Sudeste e outros cinco estados do país. Não é apenas para quem está em áreas de risco o dever de ser vacinado contra a doença, mas também quem viajará para fora do Brasil nos próximos meses, dependendo do país a ser visitado. A apresentação do certificado que comprova a prevenção já é obrigatória em mais de 100 destinos ao redor do mundo e, com o alerta, a lista não para de crescer, como o Paraguai, que aderiu à regra em fevereiro. Eu fui pro Peru em 2017 e tive que tomar a dose completa, retirar o certificado e apresentar ao entrar no país.

É essencial se informar sobre as exigências dos países com relação à saúde, ok? Nesse momento de cuidados em relação à febre amarela, o CIVP (Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia) merece ainda mais atenção. Não ter o documento, que confirma a vacinação contra esta e outras doenças, pode impedir que brasileiros pisem em território estrangeiro. Cada país tem suas restrições específicas e o ideal é que o viajante consulte o site da Anvisa, onde elas estão listadas. É bom ficar atento, pois, com o recente surto, países que antes não exigiam o documento passaram a pedir, como Paraguai, Panamá, Nicarágua, Venezuela, Costa Rica, Equador e Cuba. Para emitir o certificado, é necessário agendar um horário no órgão e levar carteira de vacinação e um documento de identificação. Ainda, é bom lembrar que a OMS (Organização Mundial de Saúde) obriga que se tome a dose única integral da vacina, não a fracionada, e que o efeito passa a valer depois de 10 dias. Para solicitar a dose única, caso o posto de saúde esteja dando apenas a fracionada, é só levar sua passagem comprada, e informar que é por conta da viagem.

Falando em viagem, acidentes e outras coisas ruins podem acontecer em qualquer lugar, mas quando se está fora do país é mais complicado lidar com as dificuldades burocráticas e financeiras. Uma boa saída é fazer um seguro viagem, que pode cobrir desde assistência médica hospitalar até indenização em caso de bagagem extraviada. O preço do serviço – que engloba também seguro de vida, repatriação, assistência odontológica e farmácia – varia conforme os limites de coberturas.

Eu sempre recomendo o mesmo Seguro de Viagem: EASY SEGURO DE VIAGEM, e você ainda ganha desconto de 15% no SEGURO VIAGEM com o código CABIDE15OFF no site www.easyseguroviagem.com.br

Espero que você tenha gostado das dicas de hoje!

Um beijo.

O final do mês me inspirou pra escrever o post da semana. E vim trazer a lista que o Hypeness fez dos 10 destinos mais baratos para mochilar! Eu nunca mochilei, mas tá na lista das coisas para fazer antes dos 30.

Um dos lugares mais conhecidos por não ser muito caro é a Ásia. Uma das cidades famosas por possuir menor custo é a Katmandu, capital do Nepal. E pasmem, a moeda do país vale US$0,01.

Abaixo, segua a lista:

1 . Tailândia 

A Tailândia é definitivamente o destino ideal para mochileiros universitários que procuram um lugar com uma cultura rica e localização acessível, além da culinária exótica. Entre comida e hospedagem você gasta em torno de US$ 20 por dia.

2 . Nepal

Rico em cultura asiática clássica e natureza tropical, o Trekking na zona rural subdesenvolvida é um dos pontos mais chamativos do Nepal. Além disso, tem templos sagrados maravilhosos. Uma rúpia nepalesa vale aproximadamente US$ 0,01.

3 . Índia

Mochilar na Índia é fácil e barato. A desigualdade de rendimentos faz com que a moeda seja baixa, onde uma rúpia equivale cerca de US$ 0,02.

4 . Sri Lanka

Colombo, a capital comercial do Sri Lana, é a cidade mais popular para se visitar. Grande e impressionantes estátuas se destacam entre as atrações turísticas. Melhor que isso é a moeda local, pois uma rúpia do Sri-Lanka em torno de US$ 0,01.

5 . Indonésia

Lindas praias, selvas e elefantes são o que mais chamam a atenção no país. Além disso, você pode praticar Yoga, surf, mergulho e pesca nos cristalinos mares verdes. Com US$ 1 você consegue 11 mil rúpias indonésias.

6 . Nicarágua

Entre Granada, com seus edifícios coloniais, e Laguna de Apoyo, um lago vulcânico na cidade chamada Masaya, a diversidade é o ponto alto do país. Os melhores meses para se viajar é entre dezembro e fevereiro.

7 . Peru

Destino típico de mochileiros, Peru reserva muitos encantos, que vão além das trilhas para Machu Picchu. Lima é uma cidade completa, com praia e metrópole, e uma road trip pelo país também é uma boa pedida.

8 . Turquia

Paisagens espetaculares, pouco gasto para comer e portas abertas para entrar são o ponto forte da Turquia, que possui a mistura perfeita entre as culturas ocidental e oriental.

9 . Albânia

Se a Itália e Grécia são muito caras para você viajar , a Albânia é uma boa alternativa. Com ricos patrimônios arquitetônicos e culturais, o destaque é ir até Monte Dajti para se ter vista uma fantástica. Dhermi ou Jala Beach agrada os que preferem praia e sol.

10 . Costa Rica

Cercada de vulcões, parques nacionais, animais selvagens, lagos puros, mar azul e praias douradas, o Caribe pode oferecer um custo relativamente baixo, e nisso a Costa Rica se encaixa às suas expectativas econômicas. Não esqueça jamais da roupa de banho, pois além de praias, essa cidade tem muitas cachoeiras, poços naturais e fontes termais naturais.

Fonte: Hypeness

Vocês já mochilaram por aí? Conta pra gente a experiência de vocês!