Sempre fui uma pessoa insegura e as minhas viagens eram sempre acompanhadas por alguém. Mas não podia estar sempre dependendo de alguém para realizar os meus sonhos. Então em Agosto de 2017 decidi fazer minha primeira viagem sozinha.

Comecei o planejamento, defini o destino, a quantidade de dias, os passeios e comprei as passagens. Não contei para ninguém! Avisei meus pais só um mês antes da viagem. Acredito que se você tem um sonho, não deve contar a ninguém até que esteja concretizado, ou que vai se realizar com toda a certeza. Assim, você não corre risco das pessoas quererem mudar sua opinião sobre o assunto. Confie no seu instinto!

No dia da viagem eu estava tão ansiosa! Fiquei pensando em muitas coisas: como só sabia falar inglês, fiquei na maior paranoia que não entenderia nada e me perderia facilmente. O voo foi calmo e em 2 horas e 30 minutos eu pousava em solo uruguaio. O aeroporto de Montevidéu é pequeno e acolhedor, fácil de se localizar. Passar pela imigração é muito simples, você precisa passar apenas a sua digital, perguntas não são feitas, e em menos de 15 minutos você já está pegando sua bagagem.

Uma amiga minha, que mora em Montevidéu foi me buscar. Fiquei na casa dela durante todo o período da viagem, mas todos os passeios e aventuras eu fiz sozinha, uma vez que ela estava trabalhando e eu só voltava para dormir. Cheguei a noite na cidade, e nessa noite, eu não dormi. Estava super ansiosa para que amanhecesse logo o dia e eu pudesse começar a conhecer Montevidéu.

Os dias que se seguiram foram mágicos. Me senti livre, pude conhecer os lugares no tempo que eu queria, pude tirar muitas fotos e fiz até piquenique em La Rambla, vendo um dos cenários naturais mais lindos que eu poderia desejar naquele momento.

Montevidéu, embora seja um pouco ~bastante ~populosa (1,3 milhões de habitantes) é uma cidade pequena, turisticamente falando. Dá para conhecer os pontos turísticos em poucos dias, e também é possível fazer um bate e volta para Punta Del Este, um balneário que fica à menos de duas  horas de Montevidéu, onde fica o famoso monumento Los Dedos.

Montevidéu tem vários museus, o que contribui para conhecermos um pouco da história do país, também tem arte moderna e artesanatos. Grande parte dos museus são gratuitos e as pessoas são simpáticas e simples. É uma cultura diferente, e assim como em toda viagem,  precisamos estar sempre com a mente aberta. Os preços de alimentação, transporte e vestuário são parecidos com o do Brasil. Algo interessante é que no restaurante, se você paga com cartão de crédito, eles devolvem 18,5% de IVA (imposto), então, compensa usar cartão em restaurantes.

Não precisei gastar com hotel, mas vi muitas acomodações em conta, além de Airbnb. Também é possível encontrar passagens de avião com preço bacana. Um dos sites mais incríveis de se procurar passagens com preço é o Skyscanner.

Com um bom planejamento e foco, dá para realizar essa viagem e conhecer uma nova cultura. Acredite, é possível realizar seus sonhos. E por experiência própria, faça pelo menos uma viagem sozinha. Você vai descobrir que é mais capaz do que imaginava. Vai voltar diferente e com a sensação que pode conhecer o mundo e nada vai ficar no seu caminho.


Esse post faz parte do projeto “leitores no blog” onde cada um pode enviar sua história de viagem e aparecer por aqui. O post de hoje foi escrito pela Lilian Moraes, ela tem um blog que você pode conferir clicando aqui, e também acompanhar ela no instagram @lilianmoraees